segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Instalação de tapume

Instalação de tapume

Saiba como é feita a montagem do muro de proteção da obra

Reportagem: Giovanny Gerolla
Edição 38 - Julho/2011

O canteiro de obras é um local de trabalho e, como tal, deve estar protegido da invasão de estranhos. Nele são estocados materiais e ferramentas, além de ficarem estacionadas diversas máquinas que serão utilizadas na execução da obra.
A Norma Regulamentadora 18, do Ministério do Trabalho e Emprego, estabelece que todas as construções devem ser protegidas por tapumes com altura mínima de 2,20 m em relação ao nível do terreno, fixados de forma resistente, e isolando todo o canteiro.
Os tapumes, ou divisórias de isolamento, servem tanto para proteger os operários de obra como os próprios transeuntes que circulam nos arredores do terreno. Existindo o risco de queda de materiais nas edificações vizinhas, estas também devem estar protegidas. Tapumes são ainda ótimos veículos de comunicação, que permitem promover a imagem da construtora e divulgar o empreendimento.
Há soluções em madeira reconstituí­da, chapas metálicas e até materiais reciclados. É o caso do produto apresentado neste passo-a-passo, composto por placas em tamanho padrão de
0,50 m de largura e 2,20 m de altura e cerca de 2,5 kg, fixadas a estruturas de madeira com pregos e parafusos.

FERRAMENTAS E EPIs

Fotos: Marcelo Scandaroli

Cavadeira, martelo, prego-parafuso (do mesmo tipo usado na fixação de telhas), trena, caibros (de 2 m a 3 m de comprimento) e sarrafos (3 m); luvas, capacete, óculos de proteção; botas e cinto de segurança para serviços em altura.

Passo 1

Fotos: Marcelo Scandaroli

1 Faça a medição, com a trena, entre os caibros que serão usados na estrutura que dará apoio à cerca. Para isso, basta colocar dois mourões a uma distância máxima de 3 m um do outro. Ajuste os mourões exatamente sobre o ponto por onde deverá passar o tapume.

Passo 2

Fotos: Marcelo Scandaroli

2 Use a cavadeira para furar o terreno nos pontos onde deverá ser fixado cada mourão. A profundidade é de aproximadamente 60 cm.

Passo 3

Fotos: Marcelo Scandaroli

3 O mourão é encaixado manualmente.

Passo 4

Fotos: Marcelo Scandaroli

4 Com a ajuda de um soquete ou um pontalete, empurre para dentro do furo a mesma terra previamente escavada, compactando-a bem. Isso ajudará a fixar o mourão no solo.

Passo 5

Fotos: Marcelo Scandaroli

5 Depois aponte, com o martelo, pregos comuns nas duas pontas dos sarrafos, para sua posterior fixação aos mourões.



Passo 6
Fotos: Marcelo Scandaroli

6 O primeiro sarrafo é fixado bem embaixo, rente ao terreno, com o auxílio do martelo - cada ponta do sarrafo em um dos mourões.
Fonte:

http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx
http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx
http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx
http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx
http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx
http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx
http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx



Fontehttp://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/38/artigo225430-1.aspx

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Você sabe o que é TAPUME e para que serve?

Oi gente, tudo bom com vocês?

Hoje vim falar sobre um assunto bem importante, em muitos âmbitos. 
Você aí que tem uma construção em mente, seja do seu lar doce lar, do seu negócio próprio, ou qualquer outra coisa, já pensou na importância do tapume? Ou ao menos sabe o que é isso?
Faço essas perguntas porque eu mesma fiquei boba quando soube o quanto isso é importante! Para quem não sabe, terrenos que não tem fechamento pré-existente (como muros por exemplo), devem ser protegidos com tapume, feito na maioria das vezes de madeira e que cerca a propriedade em construção. Devem ter no mínimo 2,20m de altura em relação ao nível do terreno e serem bem fixados no chão. Lembrando que para a construção do mesmo, é possível utilizar 50% do espaço destinado ao passeio de pedestres. 







O tapume é muito útil para delimitar onde o responsável pela obra irá armazenar os materiais, pois se isso for feito de qualquer maneira, pode acarretar acidentes para os pedestres e até resultar em multa (já que não é permitido estocar materiais de construção sob calçadas!). 
Também é de extrema importância para a proteção dos pedestres que estão transitando nos arredores da obra, já que pedregulhos ou outros materiais podem ser arremessados, causando acidentes.
Além da proteção das pessoas, o tapume garante a segurança da obra, já que a mesma abriga materiais e ferramentas com alto valor financeiro, o que atrai (e muito!) a atenção de ladrões.

Importante lembrar que o tapume é feito na fase inicial da obra e só deve ser retirado no fim da mesma, ou para dar lugar ao fechamento definitivo, com muros, grades ou alembrados. 

O tapume aqui de casa já está pronto há algumas semanas. Como citei no post da limpeza do terreno (onde é possível conferir algumas fotos), deixamos três portões grandes para a entrada e saída de caminhões carregados com materiais.
Fonte://edificandomeussonhos.com

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

TAPUME DE MADEIRA OU METAL



A barreira no entorno da obra, que separa a construção da rua, pode ser de madeira ou metal. Em muitos casos, sua composição é mista com o uso de ambos os materiais.
Telha Galvanizada
Telhas galvanizadas viram o muro metálico de diversos empreendimentos.
Construtoras passaram a utilizar o tapume metálico devido à sua elevada resistência e boa aparência. Porém, muitos empreendimentos ainda fecham seus canteiros com o tradicional tapume de madeira.
Mas, afinal, qual é o melhor material para se utilizar em tapumes?
Para responder a essa pergunta é preciso considerar o período da obra, tempo em que o material ficará exposto a intempéries, e o investimento disponível para essa aplicação temporária.
Tapume em madeira
Chapas resinadas de compensado, e OSB, também são utilizadas para a construção da barreira.
O investimento para tapumes metálicos é superior ao de madeira, isso porque sua durabilidade e reutilização são maiores. O seu uso é viável para construções de execução longa ou para construtoras que farão o reaproveitamento das chapas em empreendimentos futuros.
São dois os tipos de tapumes de madeira, o de OSB e o de compensados. O tempo de vida útil de cada uma dessas chapas é diferente devido à sua composição.
Se comparados ao de metal, os tapumes de madeira têm valores mais reduzidos e são indicados para empreendimentos com execução em tempo reduzido. Podem também ser reaproveitados, mesmo com menores índices de reutilização.
“A utilização do tapume é obrigatória em todas as construções brasileiras.
– NR 18.30”
Reveja as principais características de cada produto:

CHAPA METÁLICA

Telha | Tapume Ondulado 17
Telha | Tapume Ondulado 17
Telhas de aço galvanizado são utilizadas para a construção do tapume. O material recebe tratamento anticorrosivo e apresenta durabilidade elevada. Com o correto manuseio, as chapas de metal proporcionam anos de reaproveitamento.

CHAPA DE MADEIRA RECONSTITUÍDA

Marca registrada dos tapumes, o OSB é produzido com strands de madeira reflorestada e resinas que prolongam sua durabilidade. Sua largura, 11% maior que chapas de compensado, proporciona maior rendimento.

CHAPA DE MADEIRA LAMINADA

Painéis sólidos, produzidos com lâminas de madeira reflorestada e resinas à prova d’água que os protegem das ações do tempo. Podem ser pintados e, se corretamente manuseados, são reutilizados em mais de um empreendimento.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Tapumes de alumínio vão separar torcidas em jogo na Arena Corinthians

Tapumes de alumínio vão separar torcidas


26/07/2014 19h37 - Atualizado em 26/07/2014 19h37

Fonte;http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/07/tapumes-de-aluminio-vao-separar-torcidas-em-jogo-na-arena-corinthians.html

Palmeirenses terão trem reservado e serão escoltados pela polícia.
Corinthians e Palmeiras se enfrentam neste domingo às 16h.

Do G1 São Paulo
Tapumes de alumínio irão separar a torcida palmeirense da torcida corintiana durante o jogo da tarde deste domingo (27) na Arena Corinthians. A medida é parte da estratégia da Polícia Militar para evitar um possível confronto entre torcedores na partida.
A capacidade do estádio será diminuída em razão das divisórias. “A gente solicita que sejam eliminados alguns assentos. Portanto, a capacidade do estádio será diminuída para que nós consigamos deixar uma distância maior entre os grupos e as torcidas”, afirma o capitão da PM, Valdinei Arcanjo da Silva.
Os torcedores do Palmeiras devem se encontrar na estação Palmeiras Barra Funda do Metrô e farão o trajeto até a estação Corinthians-Itaquera acompanhados pela polícia. Um trem será reservado para eles, que serão escoltados até a entrada do estádio, informa o SPTV. A Polícia Militar pede ainda para que os torcedores não usem camisas do time no trajeto até o estádio.
Na sexta-feira (25) a torcida organizada Mancha Alvi Verde afirmou que não havia conseguido alugar ônibus fretados para o transporte de torcedores e, portanto, pedia o apoio da PM para evitar possíveis confrontos.
Dois mil palmeirenses devem assistir ao jogo no estádio e são esperados cerca de 30 mil torcedores do Corinthians. Vinte e cinco mil ingressos já foram comprados pelos corintianos.
Esquema de transporte
Alegando  questões de segurança, PM, Metrô e Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), entre outros órgãos, montaram um esquema especial de transporte para que corintianos e palmeirenses não se encontrem no caminho. Representantes da Gaviões da Fiel e da Mancha Alvi Verde, entre outras organizadas dos dois clubes, assinaram ata se comprometendo a cumprir o que foi acordo na reunião desta sexta.
Reunião entre corintianos, palmeirenses, PM, Metrô e CPTM (Foto: Kleber Tomaz / G1)Reunião entre corintianos, palmeirenses, PM, Metrô
e CPTM para o jogo (Foto: Kleber Tomaz / G1)
Na sexta à tarde, a Mancha anunciou pelas suas redes sociais que não conseguiu alugar ônibus e que apesar de "manter um bom relacionamento com o 2º Batalhão de Choque" e "acatar as decisões" do batalhão, teria de usar metrô.
Estava acordado entre as organizadas que corintianos usariam o Metrô e a CPTM para ir até o estádio, enquanto palmeirenses alugariam ônibus até Itaquera.
“Não é regra”, disse, na ocasião, o capitão Alexandre Vilariço, comandante da operação policial. “Apenas uma orientação para evitar o encontro dos torcedores do Corinthians e do Palmeiras em estações de Metrô e trem, que também serão vigiadas por policiais”, completou.
A orientação para eles é a de que não sigam para esses locais uniformizados com camisas alusivas à torcida ou ao time. “É melhor guardarem a camisa e só a usarem quando entrarem no estádio”, afirmou o capitão. “É preciso lembrar que, dentro dos vagões, a maioria será de corintianos”.
Segundo Jânio Carvalho Santos, um dos dirigentes da Mancha Alvi Verde, a diretoria da torcida organizada está "muito preocupada" com a quesão da segurança. "Estamos muito preocupados e estamos encontrando dificuldades, mas é uma falência do Estado a gente ter que tirar a camisa para usar o transporte público. Vamos uniformizados", disse.
Segurança
Aproximadamente 500 policiais militares ficarão em alerta neste domingo em São Paulo por causa da partida de futebol Corinthians x Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, a partir das 16h, no estádio do time alvinegro, em Itaquera, Zona Leste.

Para a Polícia Militar é alto o risco de haver confronto entre os torcedores rivais. O clima tenso entre as torcidas teria chegado à internet, inclusive com provocações. A corporação monitora as redes sociais para saber se brigas estão sendo marcadas.

“Até agora não detectamos nenhum confronto agendado na web, mas nossos policiais estão monitorando as páginas de Facebook e blogs de torcedores dos dois times”, disse o capitão da PM Alexandre Vilariço, comandante da seção de planejamento de operações do 2º Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque).

“É o primeiro clássico da Arena Corinthians, e por isso um jogo de alto risco de haver confronto entre as torcidas rivais. Serão mais de 100 policiais dentro do estádio e outros 400 do lado de fora”, afirmou o capitão.
Por isso, além do reforço no efetivo policial – são 200 policiais a mais do que é empregado num jogo onde não há oponentes da mesma cidade - haverá mudanças no deslocamento das torcidas organizadas dos clubes para a Arena Corinthians.
Capitão Alexandre Vilariço, da Tropa de Choque (Foto: Kleber Tomaz / G1)Capitão Alexandre Vilariço, da Tropa de Choque,
fala sobre a operação (Foto: Kleber Tomaz / G1)
Corintianos e palmeirenses
"Durante o mundial torcedores de países rivais puderam usar o Metrô expresso da Copa do Mundo. E agora que acabou a competição qual o legado que ficou para os brasileiros?”, disse o palmeirense Jânio Carvalho Santos, diretor da torcida.

Mas representantes do Metrô que compareceram à reunião de sexta-feira disseram que seria inviável reativar o expresso Copa. Um membro da CPTM endossou o que o colega do sistema de transporte público falou e reforçou a necessidade de se priorizar os corintianos, que serão maioria no domingo dentro do estádio.

Metrô
O Metrô anunciou operação especial para o jogo entre Corinhians e Palmeiras. Segundo a companhia, o número de trens em operação nas horas que antecedem ao jogo vai ser ampliado. A quantidade não foi divulgada. Na saída da partida, por volta de 18h, composições reservas poderão ser utilizadas na Linha 3-Vermelha. Segundo a empresa, o intervalo médio previsto entre um trem e outro será de 3 minutos.

A passarela de acesso à estação Corinhians-Itaquera estará liberada durante todo o domingo tanto para a entrada na estação quanto para deixar o local.

CPTM
A CPTM também terá esquema diferenciado no domingo. A segurança será reforçada nas estações com objetivo de evitar tumulto ou dano. Agentes acompanharão os torcedores no trajeto até o estádio. Cerca de 1,8 mil câmeras de vigilância espalhadas por pontos estratégicos e dentro dos trens acompanharão todos os passos dos torcedores até Itaquera.